Pesquisa

Carregando...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Agencia de Empregos


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Como destruir sua reputação profissional

Sua reputação profissional é extremamente importante, pois é o que fará as pessoas quererem trabalhar com você, contratá-lo e respeitá-lo. 

Sua reputação pode colocá-lo em uma posição onde você tem opções de emprego e não precisa ficar em uma situação ruim ou aceitar a primeira oportunidade que aparecer.

No entanto, é muito fácil desperdiçar este recurso valioso. Confira oito maneiras simples de arruinar sua reputação de trabalho:

1. Aceitar uma oferta de emprego e, em seguida, desistir

As pessoas às vezes aceitam uma oferta de trabalho, mas continuam enviando currículos e fazendo entrevistas para o caso de receberem uma oferta melhor. Mas há um custo enorme para a sua reputação caso você resolva trocar de emprego depois de já ter aceito um: você vai ser conhecido como alguém cuja palavra é suspeita. Pior: funcionários podem trocar de empresa e aquele que já lhe presenciou “dar pra trás” uma vez pode aparecer novamente em outra empresa para a qual você quer trabalhar. Imagine uma entrevista de emprego com alguém que você já deixou na mão, ou que costumava trabalhar para o empregador que você deixou na mão. Não é algo que vai te ajudar, é claro.

2. Começar um novo trabalho e largar depois de um mês

Uma coisa é se o trabalho é verdadeiramente ruim e você está infeliz, ou se não é o que você foi levado a acreditar que seria durante o processo de contratação. Mas começar um novo trabalho e, em seguida, deixá-lo rapidamente só porque algo melhor apareceu é uma boa maneira de causar o mesmo dano à sua reputação que o item 1. Pode ser ainda pior, já que a empresa terá investido tempo e recursos em treiná-lo, apresentá-lo para clientes e assim por diante. Se um novo empregador resolver pedir referências, o antigo pode falar o que não vai parecer legal sobre você.

3. Perder a paciência no trabalho

É normal se sentir frustrado no trabalho (às vezes), mas você passará dos limites se gritar, bater portas ou for grosso com as pessoas. É preciso apenas um incidente como este para manchar sua reputação e ser tachado como a pessoa “estressada” com quem ninguém quer trabalhar. Esse é um rótulo muito difícil de se perder.

4. Mentir

Seja para encobrir um erro ou adicionar alguns milhares de reais ao seu histórico de salários na esperança de conseguir uma oferta melhor, ser pego mentindo é uma maneira infalível de prejudicar fatalmente sua reputação. O local de trabalho depende da possibilidade das pessoas confiarem umas nas outras, e se você mostrar que as pessoas não podem levar sua palavra a sério, será impossível construir as relações que você precisa no emprego ou mesmo arrumar outro.
5. Assumir compromissos e não mantê-los

Você constrói credibilidade mostrando às pessoas que você cumpre o que diz. Mas se você fizer o oposto – por exemplo, dizer que vai enviar o relatório até segunda-feira, mas esquecer, ou prometer marcar uma reunião, mas não seguir adiante -, arruinará a sua credibilidade e obterá uma reputação de mau funcionário.

6. Recomendar alguém para um trabalho que não é adequado para ele

Quando você recomenda alguém, você está atestando que ele ou ela é uma pessoa que você conhece, que você considera bom funcionário, e que é alguém com quem você ficaria feliz de trabalhar. Mas, se isso não for verdade, você pode acabar sendo a pessoa que vai custar boas oportunidades ou até mesmo dinheiro à empresa por ter recomendado alguém não adequado para o trabalho. Mais: lembre-se que a sua avaliação do trabalho de alguém diz algo sobre o seu próprio trabalho, suas ideias e seu julgamento.

7. Pedir demissão e não cumprir o aviso prévio

A menos que você tenha um motivo realmente bom, abandonar o seu trabalho sem cumprir o aviso prévio vai queimar pontes com seu empregador (e muitas vezes com seus colegas de trabalho também), e pode ser o beijo da morte para chamadas de referência futuras. Justo ou não, o padrão é de duas semanas de antecedência antes de parar de trabalhar. Esse gesto pode mostrar que você não é o tipo de pessoa que deixa um empregador na mão.

8. Enviar um e-mail hostil depois que acontece algo que você não gosta

Seja enviar uma resposta irritada para uma nova política no trabalho ou fazer um comentário amargo depois de ter rejeitado um emprego, demonstrações de raiva são difíceis de esquecer. Você vai parecer alguém que não sabe como lidar com preocupações calmamente e profissionalmente, e a maioria das pessoas com quem você trabalha não se sentirá confortável em sua presença.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Novo emprego: Quando chega a hora de dar um novo rumo para a sua carreira

domingo, 30 de outubro de 2016

10 palavras-chave para conseguir um emprego

Se você está atrás de emprego, sabe muito bem que as coisas não estão fáceis. Nesse caso, que tal algumas dicas para lhe ajudar a ser bem sucedido nessa busca? Especialistas apontaram 10 palavras-chave para um bom currículo (e uma boa entrevista):
1 – PERSISTÊNCIA
O cara pode ser o maior gênio que já pisou na Terra: se não souber persistir, desiste facilmente e acaba virando uma promessa não cumprida. Quando se candidatar a uma vaga, mostre que é persistente – e, se for contratado, cumpra, é claro.

“Funcionários persistentes não desistem com facilidade e geralmente produzem resultados melhores”, diz o professor de gerenciamento e recursos humanos Timothy Wiedman, da Universidade Doane (EUA).

2 – RECONHECIMENTO
Prêmios e homenagens são sinal de que seu trabalho foi reconhecido. Uma garantia como essa é muito bem-vinda na hora e tentar uma vaga.

“Inclua no currículo prêmios obtidos em trabalhos anteriores ou em associações profissionais”, aconselha Lynne Sarikas, diretora do Centro de Carreira e MBA da Universidade do Noroeste (EUA).

3 – RESULTADOS
Em essência, o que as empresas querem é gente que saiba entregar resultados. Este é, assim, um termo importante no currículo e na entrevista.

“Você precisa mostrar ao entrevistador que é capaz de dar os resultados que eles querem, da forma que eles querem”, diz o coach Ronald Kaufman. “Para isso, se prepare para provar que tem as habilidades que eles procuram, com base na sua experiência”.

4 – IMPACTO
A contratação é uma grande aposta. Se quiser ser chamado, mostre que vai causar um impacto positivo na organização.

“Quero saber os valores que o candidato trará à organização como ele pode influenciá-la de modo positivo, principalmente em relação a nossa missão, nossas visões e valores”, conta o gerente de recursos humanos Jen Strobel, da empresa Flagger Force.

5 – COMPETÊNCIA
Essa é uma palavra-chave óbvia, mas que muitos candidatos não usam. Não se trata de parecer arrogante, mas de mostrar que tem capacidade.

“Qualquer empregador busca candidatos que podem provar que são capazes de ocupar o cargo”, aponta Alan Guinn, diretor do Guinn Consultancy Group.

6 – OBJETIVIDADE
Na comunicação, muitas vezes a mensagem se perde no meio de informações desnecessárias e frases mal-construídas. É importante ser capaz de ir direto ao ponto, sem rodeios.

“Hoje, a comunicação no trabalho é um campo-minado de emoções, tecnologias e questões legais”, lembra Brennan White, cofundador e diretor de mídias sociais da Pandemic Labs. “A habilidade de cortar a enrolação e fazer o que deve ser feito é indispensável”.

7 – APRENDIZADO
Todo mundo erra, mas nem todo mundo consegue aprender com os próprios erros para não cometê-los novamente. Essa capacidade é um grande diferencial.

“É importante mostrar ao entrevistador como falhas no passado se tornaram uma experiência educativa”, aponta o conselheiro de carreira Bruce Hurwitz.

8 – COMPROMETIMENTO
Já ouviu falar que trabalhos são como relacionamentos? Partindo desse pressuposto, a capacidade de se comprometer é fundamental para quem deseja ser contratado (ou casar…).

“Com o que você se compromete e como isso pode ajudar a organização?” é uma pergunta que o candidato deve tentar responder durante a entrevista, aconselha a terapeuta Nancy Irwin.

9 – FLEXIBILIDADE
As pessoas são contratadas para exercer funções específicas. Isso não significa que nunca vão precisar realizar tarefas que “não estão no roteiro”.

“O ambiente de trabalho muda constantemente”, lembra a coach Andrea Ballard. “Não importa quais as habilidades que você traz hoje; para continuar relevante e bem-sucedido, você precisa saber mudar e se adaptar rapidamente”.

10 – SOLUÇÕES
Um funcionário não traz apenas conhecimento, mas soluções para a organização.

“Empregadores estão buscando candidatos que sejam solucionadores de problemas, e são atraídos por quem usa uma linguagem baseada em soluções”, garante o consultor de recursos humanos Delmar Johnson.

Agora que você tem esse roteiro, ponha a mão na massa e leve os dez pontos-chave em seu currículo e em suas entrevistas.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Humaitá - Interligando Pessoas


Questão prática para entrevista

Autor: Gerisval Alves Pessoa

O mercado atual é internacionalizado (global), dinâmico, mutável, competitivo e instável e, para se conseguir um bom emprego neste mercado, não basta ter somente um bom currículo, são necessários outros fatores que compõem a competência (conhecimento, habilidade, julgamento e atitude) que podem ser demonstrados por meio dos saberes: saber, saber fazer, saber diagnosticar, saber fazer acontecer e saber conviver. Pois as empresas esperam dos futuros empregados além do conhecimento, as seguintes características: habilidades, soluções de problemas, criatividade, inovação, atitude, valor agregado, empreendedorismo, competências e liderança.

Em contrapartida, para estarmos aptos a enfrentar este mercado, podemos: produzir resultados e oferecer valor, enfrentar desafios e assumir riscos, motivar pessoas, fazer as coisas acontecerem, comunicar com pessoas, alcançar metas e objetivos desafiantes.

Mas, como podemos apresentar nosso potencial à empresa? Inicialmente é necessário que atendamos os requisitos mínimos necessários para o cargo que podem ser demonstrado por meio de um currículo bem redigido. Depois passamos por uma seqüência de atividades que compõem o processo seletivo, tais como avaliação técnica, dinâmicas e finalmente a tal temida entrevista, que geralmente são muito estressantes.

Para auxiliá-lo na sua próxima entrevista de trabalho, apresentamos uma amostra prática de 20 perguntas e respostas:

1. Fale sobre você.

- Responda em um ou dois minutos

- Use uma linha de raciocínio base (única) para iniciar. Faça um resumo do que foi falado, suas metas pessoais, suas habilidades e competências.

2. O que você sabe sobre a nossa empresa?

- Fale sobre os produtos, serviços, imagem, marca, reputação, tamanho, pessoas, estilo gerencial, história e filosofia da empresa (geralmente estas informações estão no site da empresa)

- Concentre em uma determinada área de interesse. Faça várias perguntas abertas sobre a empresa e as metas departamentais. Assim o entrevistador pode falar sobre a empresa e seu negócio.

3. Por que você quer trabalhar na empresa?

- Não fale sobre o que você quer; primeiro fale sobre suas necessidades;

- Fale que você deseja fazer parte de um projeto da empresa;

- Que você gostaria de resolver problemas da empresa;

- Que você pode contribuir para o alcance das metas específicas da empresa, aumentar as vendas, reduzir custos, etc.

4. O que você faria por nós? O que você faria por nós que outras pessoas não fariam?

- Relate problemas que você resolveu com sucesso no passado, similares aos que a empresa poderia ter;

5. O que nossa empresa tem de mais atrativo para você?

- Liste três ou mais fatores atrativos e apenas um menos atrativo

6. Por que deveremos empregar você?

- Pelo conhecimento, experiência, habilidades e competências. Diga quais são.

7. O que você procura em um trabalho?

- Responda: uma oportunidade para usar suas competências, desempenho e ser reconhecido.

8. Por favor, defina o trabalho que você está procurando (sendo entrevistado).

- Seja breve: ação e orientação por resultados

9. Em quanto tempo você traria resultados importantes para a empresa?

- Rapidamente, após orientação e um período de aprendizagem.

10. Quanto tempo pretende trabalhar conosco?

- Em quanto eu me sentir contribuindo para o atendimento das metas, crescimento, etc.

11.Você se sente qualificado para a posição que temos a lhe oferecer?

- As empresas fortes precisam de pessoas fortes

- Enfatizar interesse de relacionamento de longo prazo

- O retorno será mais rápido, pois você tem experiência acima da requerida.

12. Quais as tendências que você vê para o nosso negócio?

- Fale de duas ou três tendências

13. Se eu falasse com o seu gerente imediato, o que ele diria de suas maiores forças e fraquezas?

- Enfatize nas habilidades. Não seja muito negativo sobre suas fraquezas; Esteja sempre seguro em identificar uma lacuna de uma habilidade ou experiência.

14. Você trabalharia sob pressão e prazos finais?

- Sim. É muito simples, faz parte do dia-a-dia de um negócio.

15. Quanto você pretende ganhar?

- Responda com uma pergunta: “qual a faixa salarial trabalhos similares na empresa?”.

- Se eles não responderem, dê a faixa que você conhece / disponível no mercado de trabalho.

16. Quanto você espera ganhar se oferecermos esta vaga para você?

- Seja cuidadoso. O valor do mercado de trabalho pode ser a resposta chave. ... “Meu entendimento é que um trabalho similar a este deve está na faixa de R$ ......”

17. Qual o último livro que você leu? O filme que você assistiu? O evento esportivo que você freqüentou?

- Falar sobre livros, filmes e esportes que são importantes (contribuíram / significantes) para a sua vida.

18. Como você descreveria sua própria personalidade?

- Responda de forma balanceada (pontos fortes / a melhorar)

19. Quais seus pontos fortes?

- Fale pelo menos três e relacione com a entrevista e ao trabalho que está procurando

20. Quais são seus pontos fracos?

- Não diga que você não os tem. Tente não citar características pessoais como fraquezas, mas esteja pronto para dizer pelo menos um se o entrevistador insistir.

- Torne um ponto negativo em uma resposta positiva: “quando pretendo completar uma atividade, às vezes eu fico bastante ansioso quando estamos atrasados”. 


REFERÊNCIAS:

CHIAVENATO. Idalberto. O que o mercado espera de você. 
Disponível em www.chaivenato.com. Acessado em 01 de jun. de 2008.

Perfil do Autor

Mestre em Administração (FGV/RJ). Especialista em Engenharia da Qualidade. Químico Industrial. Professor de graduação e pós-graduação. Auditor ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001. Consultor em Gestão da Qualidade.

Facebook: fotos no seu perfil podem fazê-lo perder aquela vaga de emprego

Segundo um novo estudo da Universidade Internacional da Flórida (Miami, EUA), seu perfil no Facebook realmente pode fazê-lo perder uma chance de emprego.

Em uma das maiores pesquisas do tipo, uma equipe de cientistas entrevistou representantes das áreas de saúde, tecnologia da informação, bem-estar, educação, aéreas da lei (advocacia, segurança), comida e bebida, viagens e publicidade, e chegaram a conclusão de que olhar o Facebook de candidatos a uma vaga é uma prática crescente entre os empregadores.

“Enquanto os empregadores estão usando o Facebook para monitorar seus funcionários, eles também começaram a usá-lo como uma ferramenta de triagem ao considerar potenciais candidatos”, disse a principal autora do estudo, Vanessa de la Llama.

No entanto, essa prática ainda é imperfeita: segundo a pesquisadora, como usar o site de rede social para eliminar candidatos inadequados é uma ação relativamente nova, não existem “diretrizes” pelas quais os empregadores se baseiam, o que pode levar a subjetivismo demais: eles não estão contratando pessoas seguindo apenas o seu julgamento pessoal do quão ruim eles acham que as fotos do candidato são.

“A questão de saber se os empregadores estão fornecendo aos candidatos uma igualdade de oportunidades quanto à avaliação da imagem on-line antes da entrevista deve ser levantada”, afirma Vanessa.

O que os pesquisadores querem dizer é que existe uma questão ética envolvida com a análise de imagens para excluir um candidato de um processo seletivo. Segundo eles, “um conjunto padronizado de diretrizes ainda precisa ser estabelecido”, para que os empregadores não avaliem os candidatos de uma forma subjetiva ou pessoal demais.

Ao mesmo tempo, eles defendem que é possível que o Facebook sirva como uma das ferramentas para analisar um candidato, pois a atividade em redes sociais “é uma janela perfeitamente aceitável” para mostrar a personalidade de alguém.

Mas o que é inapropriado e o que será bem visto?


Um outro estudo de três universidades mostrou que o ideal é falar bem e ser popular no Facebook. Por exemplo, não cometer erros gramaticais, ter muitos amigos, postar atualizações sobre viagens e livros podem fazer o empregador ter uma boa visão do candidato.

Os pesquisadores analisaram cinco traços entre os usuários da rede social – vontade, emocional, sociabilidade, extroversão e abertura – conhecidos como os “cinco grandes” traços da psicologia e compararam os perfis das pessoas com avaliações feitas por responsáveis por contratações. Os candidatos com melhores índices de personalidade tiveram melhor avaliação dos contratantes.

E o que foi considerado o “melhor índice de personalidade”?

Ser organizado e trabalhador: isso se reflete no modo como a página da rede social é organizada. Pode haver vários detalhes em postagens ou no perfil, ou fotos da pessoa trabalhando com algo.

Controlar o estresse e a negatividade: isso significa um perfil com poucos aspectos negativos e sem postagens “na fossa”. Cuidar também do nível emocional das imagens é importante.

Ser sociável: isso se reflete em ter muitos amigos e não entrar em conflitos online, como debates acalorados. Fotos em situações sociais com muitas pessoas também podem ser importantes.

Ter abertura: fotos de viagens, parecer aberto a diferentes experiências e pontos de vista, postar coisas sobre literatura clássica podem ajudar nesse quesito.