• 10 palavras-chave para conseguir um emprego

    Agora que você tem esse roteiro. Ponha a mão na massa e leve os dez pontos-chave em seu currículo e em suas entrevistas.

  • 5 Dicas científicas para ser mais confiante no trabalho

    Ter confiança pode ajudar muito as pessoas no trabalho. Se você está tentando ir bem em uma entrevista, ganhar uma promoção ou fazer uma apresentação importante, pode usar algumas dicas científicas simples para se sentir bem consigo mesmo e receber um impulso de autoestima.

  • Questões Práticas Para Entrevistas

    Para auxiliá-lo na sua próxima entrevista de trabalho. Apresentamos uma amostra prática de 20 perguntas e respostas.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

10 Erros bobos no currículo que podem lhe custar a vaga


Fazer um currículo parece algo relativamente simples, mas você vai se surpreender com algumas coisas bobas que podem fazer com que os empregadores não contratem você. E eles dizem ver esses tipos de erros o tempo todo. Aqui estão dez dicas para você evitar prejudicar a si mesmo da próxima vez em que for enviar um currículo:

1 – Muitos detalhes

Vários detalhes podem ficar de fora do seu currículo. Telefones demais, por exemplo – o seu celular e telefone da casa já são suficientes. Evite nomes de referência, salários por posição e endereço de empresas ou escolas. Esses dados, se necessários, vão ser solicitados posteriormente.

2 – Muito espaço em branco

Não precisa deixar o currículo tão cheio a ponto de parecer um jornal, mas um currículo de meia página pode mostrar que você não tem trabalhos suficientes ou experiências de vida. Mesmo que você nunca tenha tido um emprego, deve ter feito pelo menos um trabalho voluntário, atividades extracurriculares ou tido posições de liderança. Não apresente um currículo mostrando apenas seu objetivo.

3 – Segunda página

Não faça um currículo com duas páginas, a menos que simplesmente liste referências. Se você não conseguir fazer um currículo em até uma página, pode dar a impressão que falta capacidade de se comunicar de forma sucinta – o que está se tornando cada vez mais crucial no nosso mundo de redes sociais.

4 – Foto

Muitas pessoas cometem o erro de colocar uma foto de si mesmo no currículo, pensando que a boa aparência vai ajudar a conseguir uma entrevista. No entanto, uma empresa não pode considerar uma imagem na hora de determinar se você está ou não qualificado para a vaga. Várias empresas descartam imediatamente currículos com fotos.

5 – Dados imprecisos

Tome sempre cuidado para colocar períodos de trabalho, títulos e responsabilidades de maneira consistente e correta. Imprecisões no currículo podem causar grandes problemas em entrevistas.

6 – Fatos que distraem

Conheça a linha entre as boas informações e muita informação. Listar premiações ou vitórias desnecessárias podem causar má impressão. Certas informações causam mais distração do que adição positiva no currículo.

7 – Escola primária

Nada de colocar onde você completou seu ensino fundamental no currículo. O importante para o empregador são os graus universitários e formação profissional.

8 – Passatempos estranhos

Não coloque passatempos ou interesses estranhos em seu currículo. Há melhores maneiras de mostrar sua individualidade.

9 – Fontes bobas

Usar Comic Sans, letras coloridas ou qualquer fonte que grita “eu não sei o que estou fazendo!” é uma péssima maneira de fazer um currículo.

10 – E-mail fofinho

Nada de usar e-mails bonitinhos que você tinha na sua adolescência. Se você ainda usa florzinha_21@hotmail.com para se comunicar, é a hora de criar um e-mail profissional. 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Vendedoras URGENTE


Televendas com experiência comprovada
Local de trabalho: Bosque da Saude - Zona Sul
Salário: R$ 1180,00
2 Vagas.
Rua Santa Cruz 604 - Vila Mariana - São Paulo
admin@humaitarh.com.br

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

5 dicas científicas para ser mais confiante no trabalho


Ter confiança pode ajudar muito as pessoas no trabalho. Se você está tentando ir bem em uma entrevista, ganhar uma promoção ou fazer uma apresentação importante, pode usar algumas dicas científicas simples para se sentir bem consigo mesmo e receber um impulso de autoestima.

Ouça a música certa

Música pode afetar tanto seu humor quanto sua autoestima. Um estudo da Kellogg School of Management da Universidade Northwestern, nos EUA, descobriu que diferentes tipos de canções podem estimular a sua confiança.
Pesquisadores pediram que participantes classificassem o quanto cada canção escutada os faziam se sentir poderosos, dominantes e determinados. As músicas foram, então, divididas em duas listas: “alta potência” (as três músicas mais bem classificadas) e “baixa potência” (três músicas muito similares em estilo, só que mal classificadas).

Em seguida, essas listas de músicas foram tocadas para dois grupos de pessoas enquanto os participantes completavam tarefas diferentes. Aqueles que ouviram a de alta potência concluíram as tarefas com mais sucesso, e eram mais propensos a oferecer-se para ir primeiro em um debate do que aqueles que ouviram a lista de baixa potência.
As músicas mais poderosas do estudo foram “We Will Rock You” do Queen, “Get Ready for This” do 2 Unlimited, e “In Da Club” do 50 Cent – no caso da última, os pesquisadores atribuíram seu sucesso não à letra, e sim à melodia grave.

Canalize a sua celebridade favorita

Alguém já te disse que você lembra uma celebridade? Isso aumenta a autoestima, com certeza. Mas a ciência vai além para explicar o fenômeno.
De acordo com uma pesquisa publicada em Personal Relationships, relações parassociais (relações unilaterais, como ser um fã de uma celebridade) podem ajudar as pessoas a ser mais parecidas com os seus próprios ideais.
Os cientistas realizaram três estudos para provar isso, e todos chegaram à conclusão de que pessoas com baixa autoestima se relacionavam mais com – e eram mais inspirados por – celebridades que eles achavam mais semelhantes ao que seria seu “eu ideal”.
Para usar isso em seu benefício, tente comparar seus melhores atributos aos de suas personalidades favoritas da próxima vez que você precisar de um impulso de autoestima, ou pensar o que você tem em comum com celebridades de sucesso.

Sente-se direito

Sua postura é importante além dos benefícios de saúde física. De acordo com um estudo da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA, sentar-se ereto pode dar-lhe mais confiança em seus próprios pensamentos.
Os pesquisadores observaram um grupo de 71 estudantes universitários, pedindo-lhes para concluir tarefas diferentes enquanto sentavam-se eretos, ou arqueados para a frente.
Em suas poses instruídas, os alunos foram convidados a listar três de seus traços positivos ou negativos, e participar de uma pesquisa na qual classificavam quão bem se sairiam como um futuro empregado.
Os pesquisadores descobriram que os estudantes que se sentaram retos eram mais propensos a destacar seus traços positivos. “As pessoas assumem que sua confiança vem de seus próprios pensamentos. Eles não percebem que a postura afeta o quanto eles acreditam no que estão pensando”, disse Richard Petty, professor de psicologia e coautor do estudo.

Alongue-se

Junto com a postura ereta, certifique-se de não subestimar o poder do alongamento. Ele pode ter um impacto sobre sua saúde mental, além da física.
No site Shape.com, a especialista em bem-estar Peggy Hall disse que o alongamento pode levar a menos dores, ajudá-lo a melhorar sua postura (o que é bom, como você percebeu pela dica acima) e até mesmo levar a uma perspectiva mais positiva na vida, bem como o aumento da confiança.
Isso é devido aos efeitos que o alongamento tem no fluxo sanguíneo e na circulação, enviando mais oxigênio para o cérebro, deixando a mente mais clara e melhorando o humor.

Considere o seu guarda-roupa

Arrumar-se é uma ótima maneira de se sentir melhor sobre si mesmo, mas há outros benefícios envolvidos na escolha da roupa. Outro estudo da Kellogg School of Management descobriu que usar certos itens de vestuário identificados com certas qualidades pode ajudar as pessoas a melhorar seu desempenho.
De acordo com o estudo, os participantes que usaram um jaleco branco de médico ou cientista se saíram melhor em um teste que pedia para as pessoas dizerem a cor da palavra que estava sendo mostrada em um cartão, em vez da palavra real escrita no cartão.
Os participantes usando os jalecos fizeram 50% menos erros do que os que não usaram. Os pesquisadores também disseram a alguns participantes que os jalecos brancos que eles estavam usando eram, na verdade, de artistas, e estes participantes não tiveram um desempenho acima da média da mesma forma que aqueles que acreditavam estar usando jalecos de médico ou cientista, o que indica que o simbolismo importa mais do que apenas a roupa.
No geral, os pesquisadores disseram que deve-se levar em conta o que as roupas representam para cada pessoa. Por exemplo, se você associa terno com o poder, vai se sentir mais confiante usando-o, mas se ternos normalmente lhe deixam desconfortável, você não verá o mesmo efeito.
Pense nisso antes de vestir-se para o sucesso. 

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

7 pensamentos que podem fazer mal para a saúde

Nossas personalidades fazem mais do que determinar o nosso círculo social: o temperamento de uma pessoa pode afetar sua saúde física. Cientistas afirmam que uma pessoa altamente neurótica pode deteriorar-se mais rapidamente do que as outras. Mas nem todos os traço do seu caráter vão lhe matar; alguns podem até aumentar a sua vida útil. Confira sete pensamentos que podem lhe prejudicar:

1. Cinismo
Pessoas que suspeitam e desconfiam dos outros, um traço de caráter que os cientistas chamam de hostilidade, podem aumentar os riscos de desenvolver doença cardíaca. Indivíduos hostis geralmente experimentam mais stress, e isso pode causar picos de uma proteína do sistema imunológico chamada C3 que tem sido associada a várias doenças, incluindo diabetes.

2. Falta de sentido na vida

Um estudo com idosos descobriu que aqueles que indicaram ter grandes propósitos na vida faziam parte das estatísticas boas: representavam metade das probabilidades de não morrer durante o período de estudo, que durou até cinco anos. Outros estudos têm sugerido que pessoas com maior senso de propósito e objetivo na vida podem ter diferentes níveis de hormônios do estresse, melhor saúde do coração ou melhoria do sistema imunológico. Ainda é necessário mais pesquisa para confirmar essas informações.

3. Neura

Pessoas que são altamente neuróticas, estão sempre preocupadas e ansiosas e tem tendência a depressão, em média, morrem mais cedo. Um estudo recente também sugere que em parte é porque os neuróticos são mais propensos a fumar.

4. Falta de autocontrole

Pessoas que não conseguem se controlar podem viver menos. Uma revisão de mais de 20 estudos revelou que as pessoas que são conscientes, organizadas e disciplinadas vivem entre 2 e 4 anos a mais do que outros. Isso pode ser atribuído ao fato de que indivíduos altamente conscientes são menos propensos a fumar ou beber em excesso, e vivem de forma mais estável e menos estressante.
5. Ansiedade

O nervosismo pode lhe pôr sobre tensão. Os indivíduos com um comportamento mais calmo são menos prováveis a desenvolver demência, que pode ser causada pela doença de Alzheimer e outras enfermidades. A afirmação é baseada em um estudo que acompanhou mais de 500 idosos por cinco anos. Entre os extrovertidos, o risco de demência foi de 50% mais baixo.
6. Pessimismo

A pessoa pessimista e inibida não está apenas em desvantagem social, mas também física. Um estudo com mais de 180 pacientes portadores de doença arterial periférica (acúmulo de placas nas artérias) mostrou que os participantes mais propensos a experimentar emoções negativas tinham maiores chances de morrer mais cedo.
7. Estresse

O estresse prolongado pode ser mortal. O estresse no trabalho pode aumentar suas chances de doenças cardíacas, vírus da gripe, síndrome metabólica e pressão arterial elevada. Mesmo uma promoção no trabalho pode ser prejudicial: pesquisadores britânicos descobriram recentemente que, quando as pessoas são promovidas, sofrem em média 10% mais tensão mental e são menos propensos a achar tempo para ir ao médico. [LiveScience]

http://hypescience.com/7-pensamentos-que-podem-fazer-mal-para-a-saude/

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Como destruir sua reputação profissional

Sua reputação profissional é extremamente importante, pois é o que fará as pessoas quererem trabalhar com você, contratá-lo e respeitá-lo. 

Sua reputação pode colocá-lo em uma posição onde você tem opções de emprego e não precisa ficar em uma situação ruim ou aceitar a primeira oportunidade que aparecer.

No entanto, é muito fácil desperdiçar este recurso valioso. Confira oito maneiras simples de arruinar sua reputação de trabalho:

1. Aceitar uma oferta de emprego e, em seguida, desistir

As pessoas às vezes aceitam uma oferta de trabalho, mas continuam enviando currículos e fazendo entrevistas para o caso de receberem uma oferta melhor. Mas há um custo enorme para a sua reputação caso você resolva trocar de emprego depois de já ter aceito um: você vai ser conhecido como alguém cuja palavra é suspeita. Pior: funcionários podem trocar de empresa e aquele que já lhe presenciou “dar pra trás” uma vez pode aparecer novamente em outra empresa para a qual você quer trabalhar. Imagine uma entrevista de emprego com alguém que você já deixou na mão, ou que costumava trabalhar para o empregador que você deixou na mão. Não é algo que vai te ajudar, é claro.

2. Começar um novo trabalho e largar depois de um mês

Uma coisa é se o trabalho é verdadeiramente ruim e você está infeliz, ou se não é o que você foi levado a acreditar que seria durante o processo de contratação. Mas começar um novo trabalho e, em seguida, deixá-lo rapidamente só porque algo melhor apareceu é uma boa maneira de causar o mesmo dano à sua reputação que o item 1. Pode ser ainda pior, já que a empresa terá investido tempo e recursos em treiná-lo, apresentá-lo para clientes e assim por diante. Se um novo empregador resolver pedir referências, o antigo pode falar o que não vai parecer legal sobre você.

3. Perder a paciência no trabalho

É normal se sentir frustrado no trabalho (às vezes), mas você passará dos limites se gritar, bater portas ou for grosso com as pessoas. É preciso apenas um incidente como este para manchar sua reputação e ser tachado como a pessoa “estressada” com quem ninguém quer trabalhar. Esse é um rótulo muito difícil de se perder.


4. Mentir


Seja para encobrir um erro ou adicionar alguns milhares de reais ao seu histórico de salários na esperança de conseguir uma oferta melhor, ser pego mentindo é uma maneira infalível de prejudicar fatalmente sua reputação. O local de trabalho depende da possibilidade das pessoas confiarem umas nas outras, e se você mostrar que as pessoas não podem levar sua palavra a sério, será impossível construir as relações que você precisa no emprego ou mesmo arrumar outro.
5. Assumir compromissos e não mantê-los

Você constrói credibilidade mostrando às pessoas que você cumpre o que diz. Mas se você fizer o oposto – por exemplo, dizer que vai enviar o relatório até segunda-feira, mas esquecer, ou prometer marcar uma reunião, mas não seguir adiante -, arruinará a sua credibilidade e obterá uma reputação de mau funcionário.

6. Recomendar alguém para um trabalho que não é adequado para ele

Quando você recomenda alguém, você está atestando que ele ou ela é uma pessoa que você conhece, que você considera bom funcionário, e que é alguém com quem você ficaria feliz de trabalhar. Mas, se isso não for verdade, você pode acabar sendo a pessoa que vai custar boas oportunidades ou até mesmo dinheiro à empresa por ter recomendado alguém não adequado para o trabalho. Mais: lembre-se que a sua avaliação do trabalho de alguém diz algo sobre o seu próprio trabalho, suas ideias e seu julgamento.

7. Pedir demissão e não cumprir o aviso prévio

A menos que você tenha um motivo realmente bom, abandonar o seu trabalho sem cumprir o aviso prévio vai queimar pontes com seu empregador (e muitas vezes com seus colegas de trabalho também), e pode ser o beijo da morte para chamadas de referência futuras. Justo ou não, o padrão é de duas semanas de antecedência antes de parar de trabalhar. Esse gesto pode mostrar que você não é o tipo de pessoa que deixa um empregador na mão.

8. Enviar um e-mail hostil depois que acontece algo que você não gosta

Seja enviar uma resposta irritada para uma nova política no trabalho ou fazer um comentário amargo depois de ter rejeitado um emprego, demonstrações de raiva são difíceis de esquecer. Você vai parecer alguém que não sabe como lidar com preocupações calmamente e profissionalmente, e a maioria das pessoas com quem você trabalha não se sentirá confortável em sua presença.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Novo emprego: Quando chega a hora de dar um novo rumo para a sua carreira




Muitos especialistas definiram 2016 como um ano de crise, em que o desemprego e um mercado restrito reinaram. Essas dificuldades trouxeram aos profissionais a necessidade de se reinventar e mudar o rumo da sua carreira.
Essa mudança vem acompanhada de uma série de dificuldades e sacrifícios, mas o resultado pode ser recompensador. Se você também deseja seguir o mesmo caminho e investir em um novo emprego, antes mesmo da chegada de 2017, não pode perder as nossas dicas!



domingo, 30 de outubro de 2016

10 palavras-chave para conseguir um emprego

Se você está atrás de emprego, sabe muito bem que as coisas não estão fáceis. Nesse caso, que tal algumas dicas para lhe ajudar a ser bem sucedido nessa busca? Especialistas apontaram 10 palavras-chave para um bom currículo (e uma boa entrevista):

1 – Persistência
O cara pode ser o maior gênio que já pisou na Terra: se não souber persistir, desiste facilmente e acaba virando uma promessa não cumprida. Quando se candidatar a uma vaga, mostre que é persistente – e, se for contratado, cumpra, é claro.

“Funcionários persistentes não desistem com facilidade e geralmente produzem resultados melhores”, diz o professor de gerenciamento e recursos humanos Timothy Wiedman, da Universidade Doane (EUA).

2 – Reconhecimento
Prêmios e homenagens são sinal de que seu trabalho foi reconhecido. Uma garantia como essa é muito bem-vinda na hora e tentar uma vaga.

“Inclua no currículo prêmios obtidos em trabalhos anteriores ou em associações profissionais”, aconselha Lynne Sarikas, diretora do Centro de Carreira e MBA da Universidade do Noroeste (EUA).

3 – Resultados
Em essência, o que as empresas querem é gente que saiba entregar resultados. Este é, assim, um termo importante no currículo e na entrevista.

“Você precisa mostrar ao entrevistador que é capaz de dar os resultados que eles querem, da forma que eles querem”, diz o coach Ronald Kaufman. “Para isso, se prepare para provar que tem as habilidades que eles procuram, com base na sua experiência”.

4 – Impacto
A contratação é uma grande aposta. Se quiser ser chamado, mostre que vai causar um impacto positivo na organização.

“Quero saber os valores que o candidato trará à organização como ele pode influenciá-la de modo positivo, principalmente em relação a nossa missão, nossas visões e valores”, conta o gerente de recursos humanos Jen Strobel, da empresa Flagger Force.

5 – Competência
Essa é uma palavra-chave óbvia, mas que muitos candidatos não usam. Não se trata de parecer arrogante, mas de mostrar que tem capacidade.

“Qualquer empregador busca candidatos que podem provar que são capazes de ocupar o cargo”, aponta Alan Guinn, diretor do Guinn Consultancy Group.

6 – Objetividade
Na comunicação, muitas vezes a mensagem se perde no meio de informações desnecessárias e frases mal-construídas. É importante ser capaz de ir direto ao ponto, sem rodeios.

“Hoje, a comunicação no trabalho é um campo-minado de emoções, tecnologias e questões legais”, lembra Brennan White, cofundador e diretor de mídias sociais da Pandemic Labs. “A habilidade de cortar a enrolação e fazer o que deve ser feito é indispensável”.

7 – Aprendizado
Todo mundo erra, mas nem todo mundo consegue aprender com os próprios erros para não cometê-los novamente. Essa capacidade é um grande diferencial.

“É importante mostrar ao entrevistador como falhas no passado se tornaram uma experiência educativa”, aponta o conselheiro de carreira Bruce Hurwitz.

8 – Comprometimento
Já ouviu falar que trabalhos são como relacionamentos? Partindo desse pressuposto, a capacidade de se comprometer é fundamental para quem deseja ser contratado (ou casar…).

“Com o que você se compromete e como isso pode ajudar a organização?” é uma pergunta que o candidato deve tentar responder durante a entrevista, aconselha a terapeuta Nancy Irwin.

9 – Flexibilidade
As pessoas são contratadas para exercer funções específicas. Isso não significa que nunca vão precisar realizar tarefas que “não estão no roteiro”.

“O ambiente de trabalho muda constantemente”, lembra a coach Andrea Ballard. “Não importa quais as habilidades que você traz hoje; para continuar relevante e bem-sucedido, você precisa saber mudar e se adaptar rapidamente”.

10 – Soluções
Um funcionário não traz apenas conhecimento, mas soluções para a organização.

“Empregadores estão buscando candidatos que sejam solucionadores de problemas, e são atraídos por quem usa uma linguagem baseada em soluções”, garante o consultor de recursos humanos Delmar Johnson.

Agora que você tem esse roteiro, ponha a mão na massa e leve os dez pontos-chave em seu currículo e em suas entrevistas.